Club de Maringá
Norte

GAs em Ação - Valdecir Testa Junior – Grupo 9: Cianorte, Cianorte Cinturão Verde, Cianorte Servir e Terra Boa

“Sou associado desde 2008, comecei no Rotary Club de Lucas do Rio Verde – MT, Distrito 4440. Tenho como madrinha minha esposa Monica, com quem acabei formando uma família, vivendo o Rotary dia a dia, como parte de nossas vidas. Hoje estamos no Rotary Club de Cianorte, onde nossos filhos também participam, a Laura que tem 11 meses frequenta desde os 2 meses. O Bernardo ao saber que eu seria presidente em 2018-19, queria participar com algo mais concreto e com isso tivemos a ideia de fundar um Rotakids, do qual ele foi o presidente fundador”. “Além de GA, fui ex-presidente da gestão do querido governador Carlos Naves e faço parte do Conselho Diretor do meu clube. Também estou na comissão de Imagem Pública com o fera Richard Ropelato Rizzo e na CADRE (Comissão de Apoio e elegibilidade dos projetos Distritais e Globais do Distrito) junto ao cara que mais admiro dentro do Distrito, que se chama Renato Tavares”, destaca Valdecir, que é dentista e proprietário de uma clínica de Radiologia. Os clubes fizeram projetos distritais de relevância, sendo que o mais novo deles, o RC de Cianorte Servir, desenvolveu um projeto de climatização em uma creche, com instalação de ares condicionados, ventiladores e umidificadores. Já o RC de Terra Boa fez 2 projetos Distritais, um destinado à instalação de uma sala para capacitação de líderes, com computadores e Datashow e outro na APAE, onde investiram na captação de chuva para armazenamento de água. Este clube também encaminhou seu projeto global para a compra de equipamentos para o hospital da cidade. “O RC de Cianorte Cinturão Verde apesar de não ter feito um Projeto Distrital entregou uma horta comunitária, que com certeza está mudando a vida de muitas famílias”, afirma Valdecir. Para finalizar, os clubes Cianorte Servir e Cianorte Cinturão Verde estão em parceria com o Rotary Club de Cianorte no projeto para melhorar a Captação de Órgãos na FUNDHOPAR (Antigo Hospital Santa Casa de Cianorte), para tornar mais eficiente a captação múltipla de órgãos. “Ajudaremos a diminuir a fila de transplantes do SUS no Brasil, tendo em vista a importância para nossa comunidade. Estou muito feliz de ver todos no mesmo caminho e crescendo”, comemora Valdecir, autor do projeto.  

Postado em 30 de Março de 2020

Conferência Internacional Conectando Fronteiras tem nova data

Prezados rotarianos dos distritos 4630, 4640, 4730 e 4845. Em concordância com as recomendações do Rotary International, a respeito das realizações dos eventos de caráter obrigatórios (PETS, Assembleia e Conferência Distrital), e em atenção as disposições vigentes dos países, com relação às medidas a serem tomadas para evitar a propagação do Covid-19, a Comissão Organizadora da Conferência Internacional Conectando Fronteiras a ser realizada na cidade de Foz do Iguaçu-Paraná-Brasil entre os dias 22 a 24 de maio de 2020, resolveu adiar a mesma. Depois de avaliar vários aspectos como as datas disponíveis de hotéis, palestrantes e outros serviços, principalmente em concordância dos Governadores do ano rotário 2020-21, decidiu-se realizar a Conferência Internacional Conectando Fronteiras nos dias 20 a 22 de novembro de 2020. Desse modo, prestamos uma homenagem merecida a cada rotariano, aos presidentes de clube, aos governadores assistentes, aos governadores dos distritos, e a todos aqueles que dedicaram seu tempo para que o ano rotário 2019-20 seja um sucesso absoluto A presente solução se tomou a fim de resguardar a saúde dos participantes, das pessoas relacionadas ao evento, das nossas famílias e dessa forma contribuir como Organização Internacional, ao esforço que os países estão realizando para combater esse terrível vírus. A medida adotada, algo inédito na história do Rotary, sem dúvida a mais difícil, mas inevitável para sermos “o mais justo para todos”, demonstra nosso compromisso com a saúde da população mundial. As inscrições continuarão a serem feitas através da página: www.rotaryconectandofronteiras.org.br Pedimos as famílias rotárias que cumpram as medidas de restrições, para que juntos possamos vencer o COVID-19 (Corona vírus) e que em pouco tempo possamos estar juntos e desfrutar o companheirismo que somente nós rotarianos sabemos fazer. Aguardamos vocês em Foz do Iguaçu em NOVEMBRO!   Cordialmente,   EDIO MARTELLO Distrito 4630     MARIA G. OLIVEIRA DE AZEVEDO Distrito 4640   JORGE HUMBERTO A. FRANCO Distrito 4730     MIGUEL ÁNGEL CRUZ Distrito 4845  

Postado em 24 de Março de 2020

GAs em Ação - Anderson Marcelo Martinez – Grupo 12: Mandaguari, Bom Sucesso, Borrazópolis, Jandaia do Sul e São Pedro do Ivaí

No Rotary desde 2009, Anderson teve como padrinhos os companheiros Maioli e Mario Nita. Casado há 23 anos com Andreia, eles têm três filhos - João Vitor de 16 anos e as gêmeas Ana Vitoria e Ana Beatriz de 8 anos. Anderson trabalha na Jamel, na área comercial de produtos de limpeza (álcool araucária e cachaça). “Estamos com o projeto de fundação do Rotary Club UFPR de Jandaia do Sul, além de um Rotary Club ou Satélite em Marumbi, ambos com a supervisão do Rotary Club de Jandaia do Sul.  Também um Rotary Club Satelite em Kaloré, com a supervisão do Rotary Club de Borrazópolis. Isto só está se tornando realidade com o apoio da equipe distrital do governador Rocco”, pondera. Sobre a concretização de projetos junto à Fundação Rotária, Jandaia do Sul em breve entregará o Projeto Distrital de um Parque infantil para cadeirantes e um Projeto Global de Melhor Qualidade de Vida para os internos do Asilo São Vicente de Paulo, com a aquisição de camas hospitalares, cadeiras de rodas e de banho, armários, aquecedores a óleo, poltronas, etc. “O Rotary Club de Borrazópolis entregou, em janeiro último, o Projeto Distrital ao Lar São Paulo Apóstolo, em Kaloré, que contemplou a aquisição de equipamentos para uma sala de Fisioterapia e como Projeto Global, uma sala será equipada com uma lavanderia industrial e uma cozinha na mesma entidade”.

Postado em 21 de Março de 2020

Agricultor William Rebecchi é Empresário Cidadão do Rotary Club de Juranda

William Rebecchi desconhecia sobre o Rotary International. Mesmo com toda a trajetória centenária da organização em todas as partes do mundo, o agricultor teve o primeiro contato com os trabalhos rotários pelo Rotary Club de Juranda. Há 28 anos atuando na agricultura, mais especificamente no cultivo de soja, milho, trigo e aveia, William possui quatro funcionários. Embora seu trabalho não seja um negócio comercial, quando decidiu investir no Rotary, sua decisão se pautou com o objetivo de ajudar as pessoas, através dos projetos que o Rotary atua com as comunidades. “Também ajudo a Apae e a UOPECCAN. Como sou agricultor, o principal benefício para mim é a satisfação de fazer o bem”, declara William. CADPRO – Neste caso, como a contribuição ao Programa Empresa Cidadã vem de um agricultor, a Associação Brasileira da The Rotary Foundation permite que seja feita através do CADPRO, cadastro de produtor rural, em vez do CNPJ. Assim, William todo mês realiza um depósito identificado e encaminha ao RIBO (Rotary International Brazil Office) o comprovante e sua ficha no programa Empresa Cidadã, para que a Associação possa identificar o valor depositado. Essa movimentação foi uma alternativa criada para aqueles que não possuem CNPJ e desejam contribuir com o Programa. NOVO CADPRO  Uma novidade no Distrito 4630 e que será ampliado para todo Brasil, é que os próximos Produtores Rurais que desejarem investir no Programa Empresa Cidadã, não precisarão mais fazer sua contribuição por depósito identificado. A partir do seu Número no CADPRO, o Distrito 4630 gerará um boleto, que será encaminhado diretamente ao Rotary Club responsável por fechar o contrato, facilitando assim o processo. Larissa Nakao Comunicação Corporativa

Postado em 13 de Março de 2020

Artigo do Diretor do RI Mário César Camargo - Foco no problema ou na solução?

Aqueles rotarianos que, como eu, compõem os 70% da população rotária acima dos 60 anos !!!  (Como assim? 14% entre 60 e 69 anos, 15 % de mais de 70 anos e 41% que não revelaram a idade, mas é pouco crível que escondam porque são jovens demais), lembram-se do período militar, o general Ernesto Geisel, e seu jogador favorito na seleção brasileira, o Dadá Maravilha. Calma, não vou entrar em discussão política nem futebolística, que ao lado de religião, são assuntos tabus no Rotary, porque divisivos. Apenas lembrei-me da tirada antológica do nosso Michael Jordan brasileiro, aquele que dizia marcar gols no futebol enquanto flutuava no ar como colibri, a exemplo da lenda americana que fazia o mesmo numa cesta de basquete. Numa época em que a palavra de ordem era “problemática”, ele se posicionou como “solucionática”. Aquele que resolve o problema, faz o gol, ganha o jogo. Foco na solução, e não no problema. Assim deve ser o rotariano. Para problemas de quadro associativo, fundamos clubes. Clubes com mulheres, com jovens, temáticos, diversas profissões e raças. Clubes nos vazios rotários  (há bairros nobres em São Paulo sem um clube), clubes em hospitais, em universidades, em associações de classe e empresariais. Nosso modelo de clube flexível permite enquadrar esses formatos sem quebrar o manual de procedimento. A primeira palavra de ordem é mudança. Sem acompanhá-la, vamos sucumbir, pois nossos valores permanecem vigorosos, mas nossas práticas e estilo formal, não são aceitas por muitos jovens. Aqueles clubes que resistem, perecerão junto com seus supostos líderes resistentes. Os dirigentes do Rotary, aqueles que valorizam a instituição e a perenizam, focam na construção, não nos hábitos. Focam na criação, não nas formalidades. Focam no legado, e não na gestão. Aliás, o fundador Paul Harris lembrava: “O Rotary terá que ser evolutivo sempre, revolucionário às vezes”. Declaração visionária. A segunda palavra é tolerância, pregada pelo fundador desde sempre. Em minhas viagens de fim de semana, e serão 46 vezes durante este ano 2019-2020, enfrento as lamúrias, reclamações, energia despendida em conflitos internos, muito calor e pouca luz. Foco na problemática, e não na solucionática. Ex-dirigentes que boicotam as atuações dos atuais, impedem a criação de clubes, estimulam a discórdia e a disputa, para cargos de presidentes de clube e governador de distrito. Como resultado, gestões amargas, com queda do quadro associativo, falta de captação de recursos e projetos da Fundação, um ambiente corrosivo e nocivo entre irmãos. Ganham sem levar o troféu. Lembro a estória do general grego Pirro, cuja vitória extremamente custosa em termos de vidas na Batalha de Ásculo, provocou a famosa declaração dele: “Mais uma vitória como esta, e estou perdido”. Nós rotarianos deveríamos evitar conflitos, afinal somos, pela Fundação Rotária, que patrocinamos uma das mais generosas bolsas de estudos de pós-graduação, as bolsas Pró-Paz. Como terceiro pilar, os resultados. Também para Paul Harris, “Qualquer que seja o significado do Rotary para os rotarianos, para o mundo ele será conhecido pelos resultados”. De nada adianta tanto esforço, tantas horas de trabalho voluntário (um cálculo da John Hopkins University atribui aos rotarianos mais de 155 milhões de horas/ano de trabalho sem pagamento), tanta energia positiva e boa vontade, se não apresentarmos resultados. Resultados em aumento do nosso time, de aumento do nosso impacto em nossas comunidades, de crescimento dos valores e das pessoas beneficiadas pelos nossos projetos, da contínua melhoria de nossa imagem como organização perante a sociedade, governo, comunidades. O resto é mimimi, ou nhémnhémnhém. Solucionática, e não problemática, é o que moverá o Rotary no Brasil e na América do Sul.  

Postado em 10 de Março de 2020

Projeto Distrital: Planaltina do Paraná entrega computador

Os rotarianos de Planaltina do Paraná entregaram um computador Positivo para a Pastoral da Criança, resultado de Projeto de Subsídio Distrital. “O computador agilizará o processo adotado pela instituição, pois todas as informações ficarão arquivadas de forma mais segura e permanente, visando a melhoria no atendimento às crianças e gestantes atendidas pela Pastoral”, explica Regina Rosa de Souza Groshevis, responsável pelo projeto do Rotary Club de Planaltina do Paraná.  A Coordenadora da Pastoral da Criança, Benedita Ferreira, destaca que “o computador era o sonho da equipe de trabalho da Pastoral".  Para o presidente do clube, Ricardo Groshevis, a informatização das informações é essencial para qualquer entidade. “Sentimo-nos realizados com esta conquista e gratos à Fundação Rotária e às Empresas Cidadãs, que nos proporcionam a oportunidade de realizar projetos tanto distrital quanto global, sempre com o pensamento de que juntos construiremos com um mundo melhor". Larissa Nakao Comunicação Corporativa

Postado em 09 de Março de 2020

Ver todos

GAs em Ação - Valdecir Testa Junior – Grupo 9: Cianorte, Cianorte Cinturão Verde, Cianorte Servir e Terra Boa

“Sou associado desde 2008, comecei no Rotary Club de Lucas do Rio Verde – MT, Distrito 4440. Tenho como madrinha minha esposa Monica, com quem acabei formando uma família, vivendo o Rotary dia a dia, como parte de nossas vidas. Hoje estamos no Rotary Club de Cianorte, onde nossos filhos também participam, a Laura que tem 11 meses frequenta desde os 2 meses. O Bernardo ao saber que eu seria presidente em 2018-19, queria participar com algo mais concreto e com isso tivemos a ideia de fundar um Rotakids, do qual ele foi o presidente fundador”. “Além de GA, fui ex-presidente da gestão do querido governador Carlos Naves e faço parte do Conselho Diretor do meu clube. Também estou na comissão de Imagem Pública com o fera Richard Ropelato Rizzo e na CADRE (Comissão de Apoio e elegibilidade dos projetos Distritais e Globais do Distrito) junto ao cara que mais admiro dentro do Distrito, que se chama Renato Tavares”, destaca Valdecir, que é dentista e proprietário de uma clínica de Radiologia. Os clubes fizeram projetos distritais de relevância, sendo que o mais novo deles, o RC de Cianorte Servir, desenvolveu um projeto de climatização em uma creche, com instalação de ares condicionados, ventiladores e umidificadores. Já o RC de Terra Boa fez 2 projetos Distritais, um destinado à instalação de uma sala para capacitação de líderes, com computadores e Datashow e outro na APAE, onde investiram na captação de chuva para armazenamento de água. Este clube também encaminhou seu projeto global para a compra de equipamentos para o hospital da cidade. “O RC de Cianorte Cinturão Verde apesar de não ter feito um Projeto Distrital entregou uma horta comunitária, que com certeza está mudando a vida de muitas famílias”, afirma Valdecir. Para finalizar, os clubes Cianorte Servir e Cianorte Cinturão Verde estão em parceria com o Rotary Club de Cianorte no projeto para melhorar a Captação de Órgãos na FUNDHOPAR (Antigo Hospital Santa Casa de Cianorte), para tornar mais eficiente a captação múltipla de órgãos. “Ajudaremos a diminuir a fila de transplantes do SUS no Brasil, tendo em vista a importância para nossa comunidade. Estou muito feliz de ver todos no mesmo caminho e crescendo”, comemora Valdecir, autor do projeto.  

Em 30/03/2020

Conferência Internacional Conectando Fronteiras tem nova data

Prezados rotarianos dos distritos 4630, 4640, 4730 e 4845. Em concordância com as recomendações do Rotary International, a respeito das realizações dos eventos de caráter obrigatórios (PETS, Assembleia e Conferência Distrital), e em atenção as disposições vigentes dos países, com relação às medidas a serem tomadas para evitar a propagação do Covid-19, a Comissão Organizadora da Conferência Internacional Conectando Fronteiras a ser realizada na cidade de Foz do Iguaçu-Paraná-Brasil entre os dias 22 a 24 de maio de 2020, resolveu adiar a mesma. Depois de avaliar vários aspectos como as datas disponíveis de hotéis, palestrantes e outros serviços, principalmente em concordância dos Governadores do ano rotário 2020-21, decidiu-se realizar a Conferência Internacional Conectando Fronteiras nos dias 20 a 22 de novembro de 2020. Desse modo, prestamos uma homenagem merecida a cada rotariano, aos presidentes de clube, aos governadores assistentes, aos governadores dos distritos, e a todos aqueles que dedicaram seu tempo para que o ano rotário 2019-20 seja um sucesso absoluto A presente solução se tomou a fim de resguardar a saúde dos participantes, das pessoas relacionadas ao evento, das nossas famílias e dessa forma contribuir como Organização Internacional, ao esforço que os países estão realizando para combater esse terrível vírus. A medida adotada, algo inédito na história do Rotary, sem dúvida a mais difícil, mas inevitável para sermos “o mais justo para todos”, demonstra nosso compromisso com a saúde da população mundial. As inscrições continuarão a serem feitas através da página: www.rotaryconectandofronteiras.org.br Pedimos as famílias rotárias que cumpram as medidas de restrições, para que juntos possamos vencer o COVID-19 (Corona vírus) e que em pouco tempo possamos estar juntos e desfrutar o companheirismo que somente nós rotarianos sabemos fazer. Aguardamos vocês em Foz do Iguaçu em NOVEMBRO!   Cordialmente,   EDIO MARTELLO Distrito 4630     MARIA G. OLIVEIRA DE AZEVEDO Distrito 4640   JORGE HUMBERTO A. FRANCO Distrito 4730     MIGUEL ÁNGEL CRUZ Distrito 4845  

Em 24/03/2020

GAs em Ação - Anderson Marcelo Martinez – Grupo 12: Mandaguari, Bom Sucesso, Borrazópolis, Jandaia do Sul e São Pedro do Ivaí

No Rotary desde 2009, Anderson teve como padrinhos os companheiros Maioli e Mario Nita. Casado há 23 anos com Andreia, eles têm três filhos - João Vitor de 16 anos e as gêmeas Ana Vitoria e Ana Beatriz de 8 anos. Anderson trabalha na Jamel, na área comercial de produtos de limpeza (álcool araucária e cachaça). “Estamos com o projeto de fundação do Rotary Club UFPR de Jandaia do Sul, além de um Rotary Club ou Satélite em Marumbi, ambos com a supervisão do Rotary Club de Jandaia do Sul.  Também um Rotary Club Satelite em Kaloré, com a supervisão do Rotary Club de Borrazópolis. Isto só está se tornando realidade com o apoio da equipe distrital do governador Rocco”, pondera. Sobre a concretização de projetos junto à Fundação Rotária, Jandaia do Sul em breve entregará o Projeto Distrital de um Parque infantil para cadeirantes e um Projeto Global de Melhor Qualidade de Vida para os internos do Asilo São Vicente de Paulo, com a aquisição de camas hospitalares, cadeiras de rodas e de banho, armários, aquecedores a óleo, poltronas, etc. “O Rotary Club de Borrazópolis entregou, em janeiro último, o Projeto Distrital ao Lar São Paulo Apóstolo, em Kaloré, que contemplou a aquisição de equipamentos para uma sala de Fisioterapia e como Projeto Global, uma sala será equipada com uma lavanderia industrial e uma cozinha na mesma entidade”.

Em 21/03/2020

Agricultor William Rebecchi é Empresário Cidadão do Rotary Club de Juranda

William Rebecchi desconhecia sobre o Rotary International. Mesmo com toda a trajetória centenária da organização em todas as partes do mundo, o agricultor teve o primeiro contato com os trabalhos rotários pelo Rotary Club de Juranda. Há 28 anos atuando na agricultura, mais especificamente no cultivo de soja, milho, trigo e aveia, William possui quatro funcionários. Embora seu trabalho não seja um negócio comercial, quando decidiu investir no Rotary, sua decisão se pautou com o objetivo de ajudar as pessoas, através dos projetos que o Rotary atua com as comunidades. “Também ajudo a Apae e a UOPECCAN. Como sou agricultor, o principal benefício para mim é a satisfação de fazer o bem”, declara William. CADPRO – Neste caso, como a contribuição ao Programa Empresa Cidadã vem de um agricultor, a Associação Brasileira da The Rotary Foundation permite que seja feita através do CADPRO, cadastro de produtor rural, em vez do CNPJ. Assim, William todo mês realiza um depósito identificado e encaminha ao RIBO (Rotary International Brazil Office) o comprovante e sua ficha no programa Empresa Cidadã, para que a Associação possa identificar o valor depositado. Essa movimentação foi uma alternativa criada para aqueles que não possuem CNPJ e desejam contribuir com o Programa. NOVO CADPRO  Uma novidade no Distrito 4630 e que será ampliado para todo Brasil, é que os próximos Produtores Rurais que desejarem investir no Programa Empresa Cidadã, não precisarão mais fazer sua contribuição por depósito identificado. A partir do seu Número no CADPRO, o Distrito 4630 gerará um boleto, que será encaminhado diretamente ao Rotary Club responsável por fechar o contrato, facilitando assim o processo. Larissa Nakao Comunicação Corporativa

Em 13/03/2020

Artigo do Diretor do RI Mário César Camargo - Foco no problema ou na solução?

Aqueles rotarianos que, como eu, compõem os 70% da população rotária acima dos 60 anos !!!  (Como assim? 14% entre 60 e 69 anos, 15 % de mais de 70 anos e 41% que não revelaram a idade, mas é pouco crível que escondam porque são jovens demais), lembram-se do período militar, o general Ernesto Geisel, e seu jogador favorito na seleção brasileira, o Dadá Maravilha. Calma, não vou entrar em discussão política nem futebolística, que ao lado de religião, são assuntos tabus no Rotary, porque divisivos. Apenas lembrei-me da tirada antológica do nosso Michael Jordan brasileiro, aquele que dizia marcar gols no futebol enquanto flutuava no ar como colibri, a exemplo da lenda americana que fazia o mesmo numa cesta de basquete. Numa época em que a palavra de ordem era “problemática”, ele se posicionou como “solucionática”. Aquele que resolve o problema, faz o gol, ganha o jogo. Foco na solução, e não no problema. Assim deve ser o rotariano. Para problemas de quadro associativo, fundamos clubes. Clubes com mulheres, com jovens, temáticos, diversas profissões e raças. Clubes nos vazios rotários  (há bairros nobres em São Paulo sem um clube), clubes em hospitais, em universidades, em associações de classe e empresariais. Nosso modelo de clube flexível permite enquadrar esses formatos sem quebrar o manual de procedimento. A primeira palavra de ordem é mudança. Sem acompanhá-la, vamos sucumbir, pois nossos valores permanecem vigorosos, mas nossas práticas e estilo formal, não são aceitas por muitos jovens. Aqueles clubes que resistem, perecerão junto com seus supostos líderes resistentes. Os dirigentes do Rotary, aqueles que valorizam a instituição e a perenizam, focam na construção, não nos hábitos. Focam na criação, não nas formalidades. Focam no legado, e não na gestão. Aliás, o fundador Paul Harris lembrava: “O Rotary terá que ser evolutivo sempre, revolucionário às vezes”. Declaração visionária. A segunda palavra é tolerância, pregada pelo fundador desde sempre. Em minhas viagens de fim de semana, e serão 46 vezes durante este ano 2019-2020, enfrento as lamúrias, reclamações, energia despendida em conflitos internos, muito calor e pouca luz. Foco na problemática, e não na solucionática. Ex-dirigentes que boicotam as atuações dos atuais, impedem a criação de clubes, estimulam a discórdia e a disputa, para cargos de presidentes de clube e governador de distrito. Como resultado, gestões amargas, com queda do quadro associativo, falta de captação de recursos e projetos da Fundação, um ambiente corrosivo e nocivo entre irmãos. Ganham sem levar o troféu. Lembro a estória do general grego Pirro, cuja vitória extremamente custosa em termos de vidas na Batalha de Ásculo, provocou a famosa declaração dele: “Mais uma vitória como esta, e estou perdido”. Nós rotarianos deveríamos evitar conflitos, afinal somos, pela Fundação Rotária, que patrocinamos uma das mais generosas bolsas de estudos de pós-graduação, as bolsas Pró-Paz. Como terceiro pilar, os resultados. Também para Paul Harris, “Qualquer que seja o significado do Rotary para os rotarianos, para o mundo ele será conhecido pelos resultados”. De nada adianta tanto esforço, tantas horas de trabalho voluntário (um cálculo da John Hopkins University atribui aos rotarianos mais de 155 milhões de horas/ano de trabalho sem pagamento), tanta energia positiva e boa vontade, se não apresentarmos resultados. Resultados em aumento do nosso time, de aumento do nosso impacto em nossas comunidades, de crescimento dos valores e das pessoas beneficiadas pelos nossos projetos, da contínua melhoria de nossa imagem como organização perante a sociedade, governo, comunidades. O resto é mimimi, ou nhémnhémnhém. Solucionática, e não problemática, é o que moverá o Rotary no Brasil e na América do Sul.  

Em 10/03/2020

Projeto Distrital: Planaltina do Paraná entrega computador

Os rotarianos de Planaltina do Paraná entregaram um computador Positivo para a Pastoral da Criança, resultado de Projeto de Subsídio Distrital. “O computador agilizará o processo adotado pela instituição, pois todas as informações ficarão arquivadas de forma mais segura e permanente, visando a melhoria no atendimento às crianças e gestantes atendidas pela Pastoral”, explica Regina Rosa de Souza Groshevis, responsável pelo projeto do Rotary Club de Planaltina do Paraná.  A Coordenadora da Pastoral da Criança, Benedita Ferreira, destaca que “o computador era o sonho da equipe de trabalho da Pastoral".  Para o presidente do clube, Ricardo Groshevis, a informatização das informações é essencial para qualquer entidade. “Sentimo-nos realizados com esta conquista e gratos à Fundação Rotária e às Empresas Cidadãs, que nos proporcionam a oportunidade de realizar projetos tanto distrital quanto global, sempre com o pensamento de que juntos construiremos com um mundo melhor". Larissa Nakao Comunicação Corporativa

Em 09/03/2020

Reuniões Quintas-Feiras | 12:00
Avenida Cerro Azul,199 Cep: 87010-000